“Ser Coach”, Missão ou Formação?

Olá amigos,

Hoje vou compartilhar com vocês um pouco da minha história e minhas crenças sobre “Ser Coach”, pois fazer um curso de formação em Coaching é possível para muitos, mas “Ser Coach”, é para poucos.

Desde criança eu queria trabalhar com gente, sempre adorei pessoas e mais ainda de saber porque elas pensam como pensam, agem como agem, ficam felizes ou tristes, possuem desejos e fazem coisas para realiza-los ou apenas esperam que uma espécie de “mágica”  ou milagre lhes proporcionem o que querem.

Calma …  não vou contar a história da minha vida inteira, apenas uma introdução que dará sentido ao que virá a seguir.

Ouvir as histórias das pessoas sempre foi um prazer e procurava ouvir além daquilo que diziam com a voz. Queria conhecer suas experiências, crenças, pensamentos e sentimentos, sempre respeitando suas escolhas.

Decidi estudar psicologia!

Me especializei em psicologia organizacional, pois o mundo corporativo parecia ser repleto de idiossincrasias, jogos políticos e exigências comportamentais, terreno fértil para quem gosta de desafios e se interessa pela dinâmica do comportamento humano.

Tenho orgulho da carreira que trilhei e hoje sou uma pessoa realizada por ter sido capaz de “Ser Coach”.

O que há de especial nisso?

Você sabe que não somos a nossa profissão, não somos nosso cargo corporativo e dizer que sou coach significa muito para mim, pois representa uma forma de olhar o mundo, de dar significado para as pessoas e de fazer minhas escolhas na vida.

Eu sou apaixonada por gente e suas possibilidades, tantas e nem sempre conhecidas. Acredito no potencial que existe em cada um de nós!

Por isso, busco continuamente pelo meu próprio desenvolvimento, isso me ajuda a manter minha integridade (integração de todas as partes que somadas me revelam) estabelecendo conexões produtivas e poderosas com meus clientes.

“Ser Coach”, é uma missão de vida, pois foi dessa forma que escolhi oferecer a melhor parte de mim para a sociedade e, aqueles com quem trabalho me presenteiam confiando em mim para apoia-los na extração do seu máximo potencial e alcance do “pódio pessoal” ( resultados desejados com o máximo de felicidade).

Coaching é um ato genuíno de amor!

“Ser Coach” é ser capaz de doar-se e celebrar cada pódio que o outro conquistar!

Carlla Zanna – Coach por paixão

Publicado por

Carlla Zanna

Psicóloga especializada em Psicologia Organizacional, pós-graduada em Desenvolvimento Humano e MBA em Recursos Humanos. Possui formação em consultoria com base na antoposofia. É certificada nas metodologias internacionais “The Human Element®” e “LIFO®” que visam o desenvolvimento humano com foco em confiança, abertura e produtividade. Habilitada nas ferramentas de assessment Birkman e MBTI 1 e 2. Trabalhou por mais de 10 anos como executiva na área de RH e Marketing de Relacionamento, gerenciando KPIs, coordenando atividades de gestão de clima e programas de performance, além de oferecer apoio estratégico para conselhos de gestão, áreas de negócio, pares e equipes com foco no alcance de metas e consolidação da cultura organizacional. Professional Certified Coach – PCC pela International Coach Federation – ICF, atua como coach de liderança e vida desde 2002, com foco em produtividade humana e alta performance. Sua formação em coaching inclui The Inner Game, Transpersonal Coaching, Neurocoaching, Presence Coaching e Team Coaching, além de vários outros cursos e conferencias que já participou. Possui cerca de 4.000 horas de experiência em coaching individual, grupos e times. Foi Diretora de Desenvolvimento da ICF Capítulo Regional SP (2010/2017) e Diretora de Responsabilidade Social da ICF Brasil (2017/2018) respondendo também como Project Manager da iniciativa Ignite (projeto global da ICF Foundation atrelado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU). Em 2009 fundou a Transformação Consultoria em Desenvolvimento Humano, pois é apaixonada por pessoas e suas múltiplas possibiidades. Oferece palestras, workshops, facilitação em processos de desenvolvimento humano, coaching e mentoring sempre com o objetivo de estimular o protagonismo e a humanização das relações, tendo como principais eixos a produtividade humana (escolhas conscientes como base para a felicidade) e evolução cultural. Carlla gosta de se auto intitular “humanóloga”, termo que vem do conceito de Humanologia criado pelo Yogi Bhajan. O termo tem como ideias centrais a dignidade, nobreza, gentileza e a comunicação fluida e respeitosa. Para ela ser “humanóloga” significa estar à serviço olhando para o outro de forma profunda.

Um comentário em ““Ser Coach”, Missão ou Formação?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *