Onde está o HUMANO do SER?

“TODA VIDA IMPORTA”. Essa afirmação para mim é obvia, mas infelizmente parece que nem todas as pessoas pensam dessa forma.

Eu não aceito a normalização do racismo ou qualquer outro tipo de preconceito e intolerância porque não é normal! 

Aproveito para expressar aqui a minha profunda tristeza e solidariedade para com as inúmeras vítimas da intolerância, em especial da intolerância racial!

Ainda que eu ocupe um lugar de fala privilegiado em relação a esse tema (branca de ascendência ítalo-austríaca), sinto uma dor enorme ao ver tamanho desrespeito pelo HUMANO DO SER. Repudio qualquer atitude de discriminação e ódio, fico chocada por saber que ainda existem pessoas que excluem, desqualificam e inferiorizam outras pessoas. Muito pior quando esse comportamento é motivado apenas porque a cor da pele do outro é diferente. 

Fico me perguntando… o que será que essas pessoas pensam e sentem? Sobre a forma como elas se compartam, temos sido testemunhas oculares.

Sou a favor da diversidade, acredito que a pluralidade de ideias enriquece as relações, amplia a qualidade dos trabalhos e propicia uma vida mais saudável para todos. Conhecer e aproveitar o que há de melhor em diferentes culturas é uma oportunidade incrível para qualquer individuo que queira se desenvolver e evoluir. Contudo, quando acontecem casos emblemáticos como os que estamos vendo agora – George Floyd nos Estados Unidos e João Pedro no Brasil – percebo que existem pessoas com um nível de consciência tão baixo que não fazem nem ideia do que significa evolução e desenvolvimento, pluralidade ou diversidade, e menos ainda SER HUMANO, porque não foram capazes de se conectar com o próprio humano do ser. 

Essas pessoas não valorizam a vida, a natureza, o respeito, a liberdade e agem sem compaixão e amor fraternal. Fico assustada, pois ainda são muitas e elas não percebem que estamos todos conectados, que suas atitudes reverberam energia negativa no mundo, no Universo!

Acredito que cada ser humano é diferente e único para além do que é material e tangível (corpo físico), e a beleza da vida está em valorizar o que é diverso e aprender com isso, dessa forma cada ser humano será capaz de evoluir para cumprir sua missão neste planeta.

A partir da antroposofia aprendi que o SER HUMANO é uma unidade e uma totalidade, composta por quatro corpos, o FÍSICO, o VITAL, o ASTRAL e o EU SUPERIOR. Essa quadrimembração do ser humano revela nossa profunda ligação com a natureza. Nosso corpo físico representa o que temos em comum com o reino mineral e todo ambiente exterior (elemento TERRA). O corpo vital representa o que temos em comum com os animais e plantas, pois rege os processos de vida e crescimento (elemento AR). É no corpo astral ou alma que reside o nosso PENSAR, SENTIR e QUERER, guardando sensações, sentimentos, instintos, dualidades, impulsos, representação das nossas ideias, valores e crenças (elemento ÁGUA). E, finalmente o EU superior ou espírito que é a parte mais elevada do SER HUMANO, pois é o que nos distingue de qualquer outra criatura da natureza. É aqui que mora a autoconsciência, autorreflexão, capacidade de fazer escolhas, nossas aspirações profundas e nossa essência espiritual (elemento FOGO). 

Sendo assim, entendo que o HUMANO DO SER está na conexão do Homem com a sua Espiritualidade, com seu EU SUPERIOR. Quando está ligação acontece cada individuo se torna mais consciente e responsável por si e pelo coletivo. Nossa humanidade está em reconhecer de fato a nossa “UMA UNIDADE”, afinal estamos todos conectados através da essência, e ela não tem sexo, raça, religião ou nacionalidade.

A vida daqueles que amamos é valiosa, então se amarmos uns aos outros verdadeira e profundamente, sem distinção, todas as vidas serão igualmente valiosas.

“BLACK LIVES MATTER”

Publicado por

Carlla Zanna

Psicóloga especializada em Psicologia Organizacional, pós-graduada em Desenvolvimento Humano e MBA em Recursos Humanos. Possui formação em consultoria com base na antoposofia. É certificada nas metodologias internacionais “The Human Element®” e “LIFO®” que visam o desenvolvimento humano com foco em confiança, abertura e produtividade. Habilitada nas ferramentas de assessment Birkman e MBTI 1 e 2. Trabalhou por mais de 10 anos como executiva na área de RH e Marketing de Relacionamento, gerenciando KPIs, coordenando atividades de gestão de clima e programas de performance, além de oferecer apoio estratégico para conselhos de gestão, áreas de negócio, pares e equipes com foco no alcance de metas e consolidação da cultura organizacional. Professional Certified Coach – PCC pela International Coach Federation – ICF, atua como coach de liderança e vida desde 2002, com foco em produtividade humana e alta performance. Sua formação em coaching inclui The Inner Game, Transpersonal Coaching, Neurocoaching, Presence Coaching e Team Coaching, além de vários outros cursos e conferencias que já participou. Possui cerca de 4.000 horas de experiência em coaching individual, grupos e times. Foi Diretora de Desenvolvimento da ICF Capítulo Regional SP (2010/2017) e Diretora de Responsabilidade Social da ICF Brasil (2017/2018) respondendo também como Project Manager da iniciativa Ignite (projeto global da ICF Foundation atrelado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU). Em 2009 fundou a Transformação Consultoria em Desenvolvimento Humano, pois é apaixonada por pessoas e suas múltiplas possibiidades. Oferece palestras, workshops, facilitação em processos de desenvolvimento humano, coaching e mentoring sempre com o objetivo de estimular o protagonismo e a humanização das relações, tendo como principais eixos a produtividade humana (escolhas conscientes como base para a felicidade) e evolução cultural. Carlla gosta de se auto intitular “humanóloga”, termo que vem do conceito de Humanologia criado pelo Yogi Bhajan. O termo tem como ideias centrais a dignidade, nobreza, gentileza e a comunicação fluida e respeitosa. Para ela ser “humanóloga” significa estar à serviço olhando para o outro de forma profunda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *